'Pensam que quem canta é o Latino', diz cantor da trilha de 'Avenida Brasil'

Essa história de "Dança Kuduro & Latino" é um caso de amor eterno, pelo que vejo. Depois de muita confusão, dele com Lucenzo, dele com os reggaetoneiros, com a mídia, com os fãns, com os vídeos e músicas que trabalha. Confusão tola, e por esse motivo nem venhamos a ressaltar mais uma vez os detalhes aqui citados anteriormente, mas a questão é, até sem querer o cantor Latino, causa.


Em uma entrevista pro G1, Robson Moura, cantor do tema "Dança com tudo", canção de abertura da novela das nove 'Avenida Brasil', transmitida pela rede globo, confessa que muitas pessoas pensam que não é ele que canta e sim o Latino, as pessoas simplesmente acham que a voz que aparece na abertura não é a voz dele, não associam a sua imagem a voz.

E outra vez batemos na mesma tecla: "Dança com tudo" é Reggaeton ou Kuduro?

Um pouco de cada! O vocal é totalmente Reggaeton, o flow (forma de cantar) é reggaeton, o cantor original da canção (Lucenzo) é um reggaetoneiro e a versão mais famosa dessa música (Danza Kuduro) é cantada com a participação de um dos maiores reggaetoneiros (Don Omar), pro mundo do reggaeton, isso nem é discutido, a base da canção é toda construída dentro do reggaeton. 


Se você for pegar um outro Kuduro, um Kuduro puro, vai ver que é diferente, essa música 'Dança com tudo' a batida é bem Latina, disso não há dúvidas, porém o ritmo é mais acelerado que o de costume, tentando parecer um Kuduro, o que de certa forma não deixa de ser, já que o compasso favorece e você acaba sendo induzido a dançar Kuduro que é na verdade não só um estilo de música como também é um estilo de dança.


Se tiverem alguma dúvida, perguntem nos comentários abaixo que respondemos todas as dúvidas.


Robson foi escolhido para dar a voz a "Dança com tudo", versão para o hit do kuduro do português Lucenzo. Segundo o G1, antes de Robson ter sua voz no horário nobre, passou por bandas de baile, foi músico da banda de Mara Maravilha e até tentou a sorte em canções gospel.


Agora, prepara disco e faz shows com "hits brasileiros em ritmo latino": de uma versão reggaeton em castelhano de "Ai se eu te pego" a "Corazón espinado" e "Estoy enamorado" em versão dance latina.
Será que ganharemos um novo aliado no Reggaeton Brasileiro? Será que ele além de cantar reggaeton, irá compor novas canções, fortalecendo assim o gênero aqui no Brasil? 




Segue abaixo a entrevista completa de Robson dada ao G1.


G1 - Qual a história da música? 
Robson Moura - Ela é de um português chamado Lucenzo, em parceria com o Big Ali. A Globo escolheu a música em janeiro e eu gravei em fevereiro. Compraram os direitos e foram atrás de um cantor. Procuraram alguém do estilo, mas só tinha o Latino . Alguma das partes não quis.  Milena Dias, que canta trilhas de novela, me indicou. A Globo aprovou e gravou o Lino Kriz como Big Ali.
G1 - Tem a versão do Latino. O que ele tem a ver com o kuduro no Brasil? 
Robson Moura - A versão do Latino é uma versão da versão. O Lucenzo gravou a música e o Dom Omar fez uma versão em espanhol. A versão do Latino é bem diferente. Tem partes diferentes.
G1 - Você ficou surpreso com o sucesso ou já esperava, por estar na abertura?
Robson Moura - 
Todo mundo esperava que marcasse, mas não que fizesse o sucesso que fez. Tudo mudou na minha vida desde a primeira semana da novela. Quando Ana Maria Braga me chamou para o programa dela, não tinha empresário, site, nada. Não me conhecem muito na rua ainda, não associam a voz à imagem.
G1 - Por que acredita que isso acontece?
Robson Moura - 
Muita gente acha que quem canta a música da novela é o Latino. Tem apresentador de programa de TV que chama o Latino e dá a entender que a música é cantada por ele. O Latino sempre fica constrangido com isso. Ainda tem essa confusão.
G1 - Como era sua carreira antes de 'Dança com tudo'?
Robson Moura - 
Eu toco teclado desde os sete anos, tocava na Igreja. Comecei como pianista popular e tecladista. Eu fazia de tudo, tocava em banda de baile. O que pintasse eu tocava. Toquei em feria de telefonia, ficava em um estande tocando. Toquei em peças de teatro, bandas de baile e grupo gospel. Acompanhei a Mara Maravilha. Eu toquei em dois shows que acompanhei. Um amigo era tecladista e não podia tocar. Eu fiz dois shows em Campo Grande. 2005. Fase gospel. Eu comecei na Igreja a ter contato com música. Sou evangélico até hoje. A influência boa da música gospel é porque são vários ritmos. Tenho noção de soul, reggae, dance, sertanejo. Tem gospel de todos os estilos.
Nina (Débora Falabella) e Jorginho (Cauã Reymond) em cena de 'Avenida Brasil' (Foto: Divulgação/TV Globo/João Miguel Júnior)
G1 - Você era gospel e hoje toca uma música sensual, com coreografias. Como lida com essa mudança no estilo?
Robson Moura - 
É uma questão que tinha desde adolescente. Tenho cuidado de não cantar palavrão. Não gosto disso, independentemente de ser ou não evangélico. Tem música que eu fico vendo as senhorinhas e penso: não é legal ouvir isso. É desnecessário. Agora tenho mais autonomia do que nos tempos de banda de baile. Tem um livro da Bíblia, Cantares de Salomão, e o Rei Salomão fala dos seios da mulher dele, que são "como dois montes". Ser evangélico não quer dizer que você não pode falar da beleza feminina. Canto uma música do Ricky Martin, "Maria", que tem uma letra sobre uma mulher poderosa, que tem o ar da sedução... Ela é tão intensa. Mas não é de uma forma pejorativa.
Tufão (Murilo Benício) em cena da novela (Foto: Divulgação/TV Globo/Matheus Cabral)
G1 - Como foi a correria para aproveitar esse sucesso da novela?
Robson Moura - 
Não tinha show próprio. Montei a partir da música da novela. Não canto só kuduro, faço versões de hits brasileiros em ritmo latino. Canto "Ai se eu te pego" em castelhano, em ritmo de reggaeton. Canto "Corazón espinado", "Estoy enamorado" em versão dance latina. Quase todas as músicas são dançantes. Por enquanto, eu venho fazendo oito shows por mês. A maioria é em casa de shows e em eventos. Traçamos um plano. Eu tinha duas saídas. Uma é explorar o Kuduro e gravar só chicletes e ganhar muito dinheiro agora. A outra possbilidade é construir uma carreira, que é o que optei. Eu prefiro ir para o lado pop latino. Se a onda kuduro acabar, não vou acabar junto.
G1 - Quando você deve lançar seu disco de estreia?
Robson Moura - 
Eu estou dando uma segurada no disco. Ele deve ser lançado em setembro e estou conversando com gravadoras. Só posso comercializar "Dança com tudo" com autorização da Globo. Vou precisar conversar com eles para gravar em DVD e no CD. Quero gravar músicas românticas, tenho como inspiração Sidnei Magal. Ele virou uma referência e está aí desde antes dos anos 80. Queira ou não, é relembrado e lota shows até hoje.

Entrevista Feita pelo G1


Share on Google Plus

Escrito por Dermeval Neves

Site Oficial do Reggaeton no Brasil criado desde 2007. Entre em contato conosco através do nosso e-mail: contato@ReggaetonBrasileiro.com. | INSTAGRAM: @ReggaetonBrasil