Ads

Últimas Notícias

[Entrevista Franca] De frente com Iwood

Gabriel Guimarães, popularmente conhecido como Iwood, jovem de 16 anos,cantor de reggaeton, natural de São José dos Campos, conta como começou a sua carreira, suas influências, seus planos, opina sobre a cena do Reggaeton e comenta sobre seu afastamento como Cantor de Reggaeton.
Iwood, que desde 2011 vem se destacando em nosso site e na cena reggaetoneira, dá uma entrevista exclusiva para a nossa página, compositor e interprete de canções como "Dança Lento", "Ellas Saben" e "Perco o Controle" elançou junto com Otros Niveles, "Animal".

Desde que idade você começou a se interessar por música e quando e como foi que começou a cantar?
Iwood: Comecei a me interessar por musica quando meu pai (rockeiro) comprou um CD do Eminem, ficava a tarde toda escutando esse cd no quarto, tinha uns 5 ou 6 anos.
Logo que conheci o Reggaeton, quando morei na Argentina em 2008, comecei a querer cantar isso
Só realizei o sonho em 2011, quando Ptu Urzua ouviu uma canção que fiz em casa e me convidou a gravar em Estúdio (Ellas Saben).

Você sempre recebeu apoio da família ou amigos? O que mais te motivou a querer seguir uma carreira de cantor de Reggaeton?
Iwood: Sim, pais, meu irmão, primos, tios e amigos sempre me apoiaram muito... Sempre ajudaram nas divulgações e alguns até iam nas apresentações. Mas o que mais me motivou no começo foi um amigo que começou comigo na Argentina, a gente era fã de Wisin & Yandel e tinha o sonho de ser que nem eles.




Pra você qual a maior diferença entre o Reggaeton brasileiro e o Reggaeton internacional?
Iwood: Bom, o Reggaeton Internacional busca sempre obter mais e mais público, tendo sempre a mente aberta para novas ideias e inovando a cada segundo. Além de ter mais tempo.O Reggaeton Brasileiro tem diversos problemas em relação ao preconceito e pessoas que confundem com o Funk, e os artistas tem a mente muito fechada.

Normalmente suas músicas falam de amor. Onde você busca inspirações?  Você costuma narrar acontecimentos que viveu nas suas canções?
Iwood: Busco inspiração nos olhares, e crio histórias possíveis... Gosto muito de olhares, gosto de ler olhares. O que eu canto, crio de algo que pode acontecer com qualquer um. Adoro cantar sobre o amor e contar histórias de amor. Não necessariamente aconteceram comigo, por isso que sou um dos unicos cantores de Romantikeo no Brasil

Alguns dizem que Reggaeton tem um lado muito apelativo, que é o chamado "Perreo", você sendo bem mais novo que os demais, o que tem a dizer sobre esse lado sensual e muitas vezes apelativo que o Regageton expõe?
Iwood: Não vejo nada de errado nisso, errado é dizer a palavra "Apelo" pois parece que é um "desespero de público" e não é isso que acontece. Cada gênero tem seu estilo, o do Reggaeton é esse. Acontece que o Reggaeton mostra mais a realidade do que sentem os artistas quando vão às festas, ou seja, a casa do reggaeton. Mas tem muito sentimento também

Afinal, o que significa Iwood? Tem algum significado?
Iwood: Quando comecei a cantar com meu amigo na Argentina, achamos o nome Gabriel um nome de criança, e não de reggaetonero. Ai começamos a fazer umas misturas doidas e deu nisso. (Risos) Não tem um significado concreto.

Já sabemos que é fã do Wisin y Yandel, fora esses cantores quais te inspiram mais?
Iwood: Arcangel e Randy Nota Loka influenciam muito na minha musica, assim como Wisin & Yandel.

O que você espera do Reggaeton brasileiro e o que você acha que falta ainda no gênero Nacional?
Iwood: Espero ver os colegas do gênero aqui bem grandes no futuro. Temos muitos talentos, a única coisa que falta é mente aberta, primeiramente por parte dos artistas, e depois do público, mas isso leva tempo.

Como você vê o Reggaeton daqui alguns anos, tanto o brasileiro quanto o internacional?
Iwood: Como mostra a história, desde o começo nos anos 90, o gênero evoluiu muito, o vejo bem evoluído, de forma que o mundo inteiro saberá o que é. E no Brasil, o reggaeton vai se igualar ao internacional.


Bom, focando em sua carreira... Você havia dito que deseja se afastar da carreira como cantor de Reggaeton temporariamente, isso procede? Irá realmente se afastar de sua carreira? Se sim. Quais o motivos? E quando pretende voltar?
Iwood: Sim, darei uma pausa, mas não é definitiva. Acontece que estou cursando o 2º ano do ensino médio, uma fase meio complicada, já que tenho a intenção de entrar em alguma faculdade. Ou seja, estou parando apenas para enfocar mais nos estudos, quando tudo se acalmar vou voltar com força total. Nesse tempo além de estudar, estarei procurando experiências que me ajudem como reggaetoneiro, por exemplo, participei de uma banda de rock como vocalista, teve gente que pensou que eu estava trocando de gênero, mas isso não é verdade, é apenas mais uma das experiências que eu quero usar para aprender mais.
E ser um reggaetoneiro melhor

O que você aprendeu com o Reggaeton e qual mensagem você deixa para seus fã e colegas reggaetoneiros?
Iwood: Com o Reggaeton aprendi a ter amor ao palco e amar mais ainda a musica. Aprendi também que há como tirar os sentimentos ruins e bons pela musica, isso é básico pra qualquer artista. E quero dizer que semana que vem irei a São Paulo, onde me encontrarei com Ptu Urzua. Lá gravaremos algumas canções pra fechar essa fase com chave de ouro. Vai ter de tudo: Romantikeo, Malianteo e Perreo. Então aguardem pois ainda tem surpresa por ai.

Indo um pouco para o lado pessoal: Como anda o coração? E para quem você pediria para "Dançar Lento" para você?
Iwood: O coração anda romântico (risos). Queria ver toda a galera do Brasil dançando lento ao ritmo do Reggaeton Brasileiro (risos).

Ninguém em especial?
No momento ninguém especial (mais risos).

Logo quando começou a sua carreira em pouco tempo você já era destaque em nosso site como Novo Talento e logo em seguida destaque como melhor canção com participação brasileira. O que você tem a dizer sobre isso?
Iwood: Não quero ser redundante, mas na minha opinião é tudo questão de ter uma mente mais aberta a tudo. Não se prender em uma coisa só. Eu por exemplo ouço de tudo, de Mr Catra a Mozart, isso dá um leque muito maior na musicalidade. Claro, sempre tendo em vista o que é melhor e o que é pior E gosto de por meu coração no que canto, talvez seja por isso que agrade.

Algo a acrescentar? Agradecimentos? Recados?
Iwood: Quero agradecer a todo mundo que veio falar comigo quando foi postado que eu pararia. E dizer que não é pra sempre, quando voltar será com força total! Por enquanto esperem as novas canções com Ptu Urzua pela Otros Niveles, a companhia que vai crescer muito ainda!


Quer conhecer mais sobre esse artista? Clique em VER MAIS.

E VOCÊ, GOSTOU DESSA ENTREVISTA? QUAL OUTRO ARTISTA VOCÊ INDICARIA PARA UMA ENTREVISTA COM O NOSSO SITE?

~~ COMENTE ~~
DÊ A SUA OPINIÃO!