Ads

Últimas Notícias

Depois de produzir Anitta, Ludmilla, Claudia Leitte e outros, Rick Joe se joga de vez no Reggaeton e lança 'Todita' junto a Lary e Alma Inc


Produtor brasileiro renomado, que já produziu canções para Anitta, Claudia Leitte, Ludmilla, Buchecha, Koringa, Léozinho, Duduzinho, Marcelly, Tati Zaqui dentre outras estrelas, agora inicia uma nova etapa com foco internacional. E para apostar no mercado lá fora, o Rick se jogou de vez no Reggaeton, levando um pouco do nosso Brasil dentro de cada produção. A canção Todita lançada pelo Rick Joe em parceria com a brasileira Lary e o grupo colombiano Alma Inc, trás justamente essa cara internacional com tempero brasileiro. A música tem uma pegada sensual, cheia de energia e dançante.

O Rick nos contou que sempre quis um reggaeton que tivesse uma essência brasileira e que o mix de cultura, entre Brasil e Colômbia já era algo desejado por ele há muito tempo e que se surpreendeu por haver uma alta aceitação da canção Todita fora do país mais expressiva do que no Brasil.


Confira agora um bate papo rápido que tivemos com esse visionário produtor que há algum tempo já vem estudando o reggaeton e acaba de lançar seu primeiro trabalho com foco internacional.

Rick fala sobre a canção Todita:

1. Como aconteceu essa colaboração entre você, a Lary e o Alma Inc?


Eu tinha escutado uma música da Lary, Salto 15, e me apaixonei pela voz dela, foi uma das vozes mais fantásticas que já escutei no funk e pensei "tenho que gravar com ela". A empresária dela é uma velha conhecida minha e as coisas fluíram bem naturalmente.

Sobre o Alma Inc foi algo surpreendente também, eu havia feito testes com outros grupos da Colômbia e México e o grupo Alma Inc  foi bem dinâmico, conseguiu acertar de primeira e era exatamente o tipo de voz que eu queria, então foi perfeito e resultou nesse casamento vocal entre a Lary e Alma Inc na canção Todita.

2. Quando sai o videoclipe? E o que podemos esperar dele?

O clipe está cotado para sair próximo mês. Ele ia ser gravado em Cuba, mas infelizmente o furacão passou justamente em Havana, daí tivemos que recomeçar do zero, criar um novo roteiro, e decidimos que vamos gravar no Brasil. Podem esperar algo bem renovador e bem diferente do que já fiz.

3. Por que escolher a Lary para representar o Brasil na canção?

Meu projeto é novo e eu queria alguém novo também no cenário, com super talento, mas que não fosse um nome ainda conhecido por todos, para que assim possamos crescer juntos. Além do que a Lary tem todo o talento e sensualidade para ser a Todita.

4. O que você acha dessa mistura de línguas e culturas que o Brasil vem aderindo? Como isso reflete na sua nova canção?


O Brasil sempre foi muito aberto para outras culturas e outras línguas, mas era algo massivo mais  para a América do norte, principalmente Estados Unidos, Canadá.

Sobre a cultura latina, sempre houve uma dificuldade muito grande de cantores latinos adentrarem ao Brasil, são bem poucos, dá para contar nos dedos da mão os cantores que cantam em espanhol e que fizeram sucesso aqui. Adotamos o Julio Iglesias, Enrique Iglesias, Thalia, Shakira, dentre alguns outros, mas sempre houve uma resistência. Apesar de sermos latinos, não somos reconhecidos no mundo como latinos por não falarmos espanhol, mas essa aproximação do espanhol com o português acho fantástico, por que o público tem muita coisa em comum. O Reggaeton por exemplo, tem muito do nosso Funk Carioca, da cultura urbana do Brasil. E foi isso que quis refletir na canção Todita, trazer esse mix de cultura do Brasil e Colômbia.

5. Como você define a canção Todita?

Eu defino como uma música que junta duas linguagens e culturas bem diferentes, mas ao mesmo tempo, consegue aproximar e mostrar quanto somos parecidos, e só a música tem esse poder.

O brasileiro pode não entender o que o colombiano está cantando, o colombiano pode não entender o que o brasileiro está cantando mas pela atmosfera e pela sensibilidade, conseguimos fazer com que ambos sintam a essência da música. A Todita é isso, aproximação de povos e culturas, algo que só a música consegue fazer.

6. Todita está sendo tocada por várias casas noturnas fora do Brasil, como você se sente sabendo disso?

Eu tou muito feliz com o resultado da música, superou todas as minhas expectativas . Quando a gente cria uma música, sempre esperamos o melhor, mas ela tem algo bem agradável, principalmente em saber que ela está tocando em tantos lugares como Colômbia, Espanha, em festivais e rádios italianas.
Me assusta bastante em saber que a música teve uma entrada muito maior lá fora do que aqui dentro no Brasil.